Written by

Tendências da Segurança Corporativa para 2020

Cultura de Segurança| Views: 252

SIA (Security Industry Association) identificou e coletou dados para desenvolver a pesquisa sobre tendências de segurança para 2020, a Security Megatrends. O documento levantou os dez principais fatores que vão influenciar o setor no próximo ano. 

A pesquisa envolveu grandes empresas de segurança, voluntários, associações, especialistas e insumos retirados da conferência Securing New Ground (SNG), ocorrida em outubro na cidade de Nova Iorque. 

Pelo segundo ano consecutivo, a Segurança Cibernética foi o principal tópico para a indústria. CEO’s, instituições governamentais e empresas do ramo mostraram a necessidade do desenvolvimento de métodos de defesa específicos para o ambiente digital. 

“Com o aumento do risco e a frequência de ataques cibernéticos, sistemas integrados e desenvolvedores de produto estão trabalhando juntos para assegurar soluções que atendam, ou até mesmo excedam, a qualidade dos padrões de segurança cibernética das organizações.” 

Scott Schafer, Diretor da SIA.

Seguindo esta tendência, a Inteligência Artificial ficou em segundo lugar na Security Megatrends 2020. O interesse em novas tecnologias e o alto investimento em ferramentas de AI são esperados para o próximo ano. 

Em terceiro lugar, o Reconhecimento Facial é um dos recursos a serem aderidos por muitas empresas em 2020 como método de segurança.  

Começando pelo Facebook que já vem aplicando a tecnologia em sua plataforma há algum tempo, e as Olimpíadas Tokyo 2020 que vai utilizar o sistema para controlar atletas e funcionários durante o evento. 

A indústria da segurança ainda costuma dividir a segurança física da cibernética e tratar essas duas áreas com profissionais e estratégias distintas. 

Porém os últimos levantamentos, incluindo o documento Security Megatrends da SIA – que é referência mundial no assunto – revela que dentro de pouco tempo as duas áreas vão convergir em uma só. 

Inteligência Artificial vai impactar a forma como protegemos também a integridade física e material. Neste sentido, o desenvolvimento de estratégias com o uso dessas novas tecnologias é o grande desafio para as empresas do setor em 2020. 

Confira a lista dos 10 Security Megatrends da SIA para 2020 

  1. Segurança cibernética sobre segurança física  
  2. AI – Inteligência Artificial  
  3. Reconhecimento Facial  
  4. Privacidade de Dados 
  5. Computação em nuvem 
  6. Segurança Nacional 
  7. Conectividade e Internet das Coisas – IoT  
  8. Desenvolvimento da força de trabalho 
  9. Migração para novos modelos de serviço 
  10. Identidade como o novo perímetro 

Tecnologias aplicadas à segurança 

A pesquisa realizada pela maior empresa de segurança do mundo, a SIA, revelou que a tecnologia será a grande aliada das defesas corporativas. Salientando o uso de inteligência artificial e softwares para proteção de dados. 

Mas como isso se aplica efetivamente na forma como usamos a segurança atualmente? 

A convergência é o futuro das empresas. O uso das tecnologias deve ser integrado aos métodos tradicionais de Segurança Corporativa, visando desenvolver novas estratégias de defesa. 

Ainda há um longo caminho pela frente, mas tudo aponta que em 2020 dispositivos de AI já serão uma realidade para as grandes empresas.  

Algumas das ferramentas que estão sendo inseridas no mercado recentemente, mas que já acompanham as tendências apresentadas pela SIA são: 

Controle de Acesso Mobile 

Com crescimento rápido no mercado devido aos resultados positivos nos sistemas de Segurança Corporativa, os serviços de defesa para dispositivos móveis prometem ser uma das ferramentas mais utilizadas de agora em diante. 

A integração de diversas ferramentas através de um aplicativo é uma facilidade que poucos dispositivos podem entregar.  

Credenciais de acesso, sistemas de câmeras e até mesmo um botão de pânico podem fazer parte de um software personalizado, desenvolvido especialmente para as necessidades de cada empresa. 

Vigilância em vídeo 

Câmeras de segurança vão ficar mais inteligentes com a aderência de AI.  

Sistemas que conseguem captar sons, identificar pessoas, movimentos e armazenar essas informações irão modernizar a forma como monitoramos em vídeo. 

Com os dados coletados, o software cria uma memória e fornece dados importantes na prevenção de ocorrências com base em imagens, data, horário e local, por exemplo. 

Reconhecimento Facial 

Ficando em segundo lugar na Security Megatrends, o Reconhecimento Facial é um processamento de imagem feito por um software que identifica as características de um rosto humano. 

Com as informações inseridas no sistema, é possível saber a quem as faces pertencem e, com isso, criar um banco de dados de pessoas. 

O Reconhecimento Facial está substituindo aos poucos senhas e acessos físicos. Através da tecnologia que reconhece o visitante, o uso de credenciais pode ser deixado de lado muito em breve. 

A gigante Facebook já utiliza o recurso para substituir a inserção de senhas no login de contas pessoais. 

Convergência é a premissa para o futuro da segurança 

Na convergência em segurança, o departamento de T.I e o time operacional estão alinhados para resolver qualquer tipo de situação.  

A ideia de que segurança da informação e segurança patrimonial são setores distintos cai por terra, e todos os colaboradores devem estar envolvidos no processo para que esta convergência funcione. 

Por exemplo, se há algum problema com o sistema de câmeras que impacta o equipamento físico, as empresas normalmente vão agir de forma linear.  

Uma equipe para restaurar o software e outra para fazer os reparos técnicos no dispositivo é a ação mais óbvia. 

Em uma empresa com segurança convergente, os times já estão alinhados e atuam mutuamente em soluções mais rápidas e preventivas para evitar que qualquer tipo de situação inesperada tenha suas proporções estendidas. 

A integração das tecnologias precisa acontecer junto com a colaboração dos times que deve estar imerso numa Cultura de Segurança

A proteção efetiva é uma tarefa diária de todas as áreas e funcionários. Tecnologia e inteligência artificial não fazem isso sozinhas. 

Cabe ao grupo criar um conjunto de práticas e políticas que atendam às necessidades de segurança da empresa e, mais importante do que criar uma estratégia, garantir que o time saiba a colocar em prática quando necessário. 

Pupo Neto

CEO of CoApps Brasil - More than 20 years of experience in various markets - automotive, cosmetics, education, technology and others - in multinational companies, large national groups and startups - O Boticário, Nissan, UOL, OpenEnglish and OLX.

Participation in the creation of 3 startups in early-stage until the complete operation (OpenEnglish and Canal da Peça)
Large cases of communication in multinationals (O Boticário, Nissan, UOL, OLX, etc).
Pupo Neto

Deixe uma resposta