Written by

Segurança Corporativa: saiba se sua empresa está preparada para uma crise

Risco é a existência concreta de uma ameaça. Diminuir as vulnerabilidades do seu negócio faz parte de uma estratégia de análise de risco e as corporações precisam levar este assunto muito a sério. 

Segurança Corporativa investiga tudo aquilo considerado como ameaça. Seu objetivo é essencialmente proteger pessoas, propriedades, informações e dados de uma empresa. 

Perdas podem acontecer em diversos segmentos: financeiro, moral, material, humano… Todas podem ser mensuradas e transformadas em dados para elaboração de um bom plano de gerenciamento de crise.

segurança corporativa – que está ligada também à continuidade dos negócios – É um conjunto de ações que visam prevenir e restaurar possíveis falhas na empresa.  

Isso inclui perdas e danos, acidentes, incêndios, problemas financeiros, segurança da informação, entre outras questões que envolvam a segurança da corporação. 

Uma boa segurança corporativa age em várias frentes e proativamente, para prevenir que maiores perdas aconteçam. 

Segurança Corporativa e Gerenciamento de crise 

Segurança Corporativa é o planejamento e a execução de estratégias que visam diminuir os danos em caso de crise. Este documento faz parte de um plano de gerenciamento de crise.  

Crises também estão relacionadas à imagem da empresa, por isso os departamentos de Relações Públicas trabalham assiduamente neste tópico. 

Porém, nas organizações em que a Segurança Corporativa é levada a sério, todos os outros departamentos possuem papeis importantes no plano de gerenciamento de crise

Grandes corporações costumam investir milhões em Segurança Corporativa, enquanto micro e pequenos empresários, muitas vezes, não tem conhecimento do quão é importante ter esta Cultura de Segurança dentro de seu negócio. 

Como implementar Segurança Corporativa em sua empresa 

Uma Segurança Corporativa bem estruturada começa com a identificação de possíveis falhas e pontos de vulnerabilidade do negócio para, a partir disso, serem criadas estratégias, visando sempre a redução de falhas.  

A elaboração deste documento deve conter informações que serão tangibilizadas em medidas de segurança, algumas delas são: 

  • Política de Segurança 
  • Gestão de ativos 
  • Segurança Fiscal e Ambiental 
  • Gestão de comunicações e operações 
  • Controle de acesso 
  • Gestão de continuidade do negócio 
  • Procedimentos de segurança 

Tecnologias em prol da Segurança Corporativa 

Na atual era do digital, os sistemas precisam estar cada vez mais protegidos. Ataques cibernéticos podem causar prejuízos estratosféricos, tanto financeiros, quanto de imagem. 

Uma empresa pode perder completamente sua credibilidade no mercado, caso venha à público que seus sistemas foram invadidos.  

O maior canal de invasão de vírus continua sendo o e-mail, mas existem outras inúmeras formas de violação digital que podem e devem ser evitadas com softwares de resistência. 

Melhorar senhas, criptografar arquivos e controlar acessos de máquinas e sistemas com hierarquia de permissões são algumas medidas de segurança da informação.  

Para reforçar a segurança, também é possível isolar as informações do seu plano de gerenciamento de crise em plataformas específicas. Esse recurso já é utilizado há algum tempo no exterior e chegou recentemente ao Brasil. 

Integrar os protocolos de segurança no digital e distribuir as informações de forma personalizada através de um aplicativo, completamente fora dos sistemas da empresa, é um excelente recurso caso o software corporativo esteja sob ameaça cibernética. 

Em um cenário de crise como este, são ferramentas facilitadoras na construção de uma Cultura de Segurança em seu business.  

Veja também um passo-a-passo de como melhorar a viabilidade do seu plano de gerenciamento de crise aqui

Por que a Cultura de Segurança é importante neste processo 

Mais importante que desenvolver um plano e Segurança Corporativa na empresa é implementá-lo. Envolver todos os colaboradores numa Cultura de Segurança pode não ser uma tarefa fácil, mas é muito eficiente caso precise colocar seu plano de gerenciamento de crise em ação. 

Inserir as informações de maneira clara e objetiva em um manual de boas práticas é importante, mas não o suficiente. 

Ter todos os colaboradores engajados e conscientes dos seus papeis na execução do plano de gerenciamento de crise é resultado de um bom investimento emCultura de Segurança. 

Além de senso de responsabilidade individual é uma forma de reconhecer também a capacidade dos funcionários e fazê-los perceber sua importância dentro do plano como um todo. 

Fernanda Moreira

Business Development at CoApps Brasil.
SecTechs, Startups, B2B, SaaS, Marketplace, Customer Service, inbound Sales, Outbound Sales

Deixe uma resposta