Por que investimos em Business Continuity no Brasil? 

Por Pupo Neto

“Aconteceu um imprevisto!”, ouvimos com frequência. De fato imprevistos acontecem em qualquer dia, em qualquer horário; mas em um país com fama de deixar tudo para a última hora, isso pode parecer normal. Mas não é assim para quem trabalha em Business Continuity – Continuidade de Negócios.

Quem está fora deste mercado pode pensar que as empresas no Brasil não estejam prontas para enfrentar incidentes ou crises; mas a realidade é outra, na maioria das grandes empresas no Brasil. Muitos times de executivos de várias áreas – análise de riscos, segurança, prevenção de perdas, gestão de crise etc – possuem conhecimento, planos e ferramentas em processos bastante complexos, bem mapeados e monitorados.

Então por que investimos em trazer ao Brasil uma plataforma de Business Continuity e Segurança? O tamanho do país, as diferenças geográficas, sociais e culturais. A diversidade de mercados torna o Brasil uma oportunidade ímpar e foi assim que trouxemos para cá um produto deste segmento, já muito consolidado na Europa. Mesmo considerando a experiência e estrutura já presentes aqui, identificamos uma grande lacuna no mercado em relação à tecnologia.

A maioria dos executivos de segurança com quem tive contato nos dois últimos anos estavam muito bem embasados em seus processos, mas pouco familiarizados com as tecnologias que podem melhorar seus processos. Grande parte destas empresas mostravam dificuldade de atualização e treinamento, e estar integrado às novas tecnologias é a oportunidade de melhoria que vai dar o salto na relevância dos temas ligados à gestão de crise. E é aí que a CoSafe entra.

Convivemos com profissionais de grandes empresas, acostumados com rotinas de análises de riscos e como se preparar a eles. O que oferecemos a eles é tecnologia para agir de forma mais rápida e precisa em qualquer incidente, evitando crises; ou ajudando a passar por crises da forma mais segura possível. Apesar de grandes empresas no Brasil já possuírem planos de Continuidade de Negócios, poucas usam ferramentas digitais, um gap imenso que encontramos. Mapeamos bastante o mercado e tive oportunidade de conversar com grande líderes do mercado de segurança e crise até que oficialmente lançamos a CoSafe no Brasil – um pouco antes da chegada da pandemia no país.

O ano de 2020 foi um grande acelerador tecnológico para todos. Neste ano a busca por inovação foi muito estimulada, e nós participamos de alguns programas onde grupos de grandes empresas multinacionais buscavam soluções inovadoras para integrar à essa nova realidade, que chegou de forma tão abrupta. No entanto, inovar não foi opção, foi mandatório.

Para nossos clientes a pandemia aumentou o escopo de utilização da plataforma. Isso aconteceu de forma muito rápida, em diversos mercados com os quais trabalhamos – grandes redes de varejos, bancos, escritórios, aeroportos, fábricas etc. Empresas que já utilizam nossa plataforma para equipes especializadas ampliaram o número de usuários do produto, por exemplo, na necessidade de cuidar do trabalho remoto e presencial de quem não pode parar.

Para se ter ideia do potencial do mercado, somente em 2019, o mercado de segurança eletrônica movimentou R$ 7,17 bilhões no país, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (ABESE). Para este ano, mesmo com a crise, o movimento deve ser ainda maior. Um estudo do Gartner, prevê que os investimentos em tecnologia de gestão de risco continuarão crescendo em 2020

E nós também tivemos que nos adaptar, criando novas features, ajustando outras. Para nós 2020 foi momento de provar que quem trabalha com business continuity também precisa ter seus planos revistos, e rapidamente. Investir em um mercado inexplorado poderia ser bom, mas investir em um mercado já existente, trazendo economia e melhoria no processo se revelou um mar de oportunidades. E é por isso que estamos aqui. O que temos na mão é a oportunidade de ajudar a mudar a cultura de segurança do país e trazer inovação para quem já tem experiência. Como em toda startup, em muitos momentos pareceu loucura, ou algo impossível, mas nós conseguimos!

Pupo Neto é CEO da CoApps Brasil

Deixe um comentário