Written by

Crises Digitais: o que são e como fazer uma gestão rápida e eficiente

Por que sua empresa precisa estar preparada para um ataque virtual.

Segurança cibernética não é um assunto de agora. Desde a década de 90, quando começamos a utilizar a informática para processos e armazenamento de dados nas empresas, o ambiente digital passou a ficar também vulnerável a ataques. 

As ameaças digitais estão cada vez mais sofisticadas, visando o roubo de dados e até mesmo a destruição completa de sistemas. Softwares desenvolvidos por hackers podem ser um verdadeiro pesadelo para sua empresa, ainda mais se a invasão acabar divulgada à imprensa. 

Dependendo da magnitude dos estragos, pode ser que a imagem da empresa nunca mais se recupere. Por isso, segurança da informação é um assunto que deve ser levado muito a sério nos dias atuais. 

Um relatório da empresa McAfee, chamado Grand Theft Data II, revela que 3/4 de todas violações cibernéticas exigiram divulgação pública e afetaram diretamente os resultados financeiros das empresas. 

Os principais pontos de vulnerabilidade para ataques digitais, segundo o relatório, são vazamentos do banco de dados, dispositivos removíveis USB e aplicativos em nuvem, além dos clássicos links recebidos através de e-mail. 

Vírus Everywhere 

O instituto AV-Test publicou um estudo em julho de 2019 que revelou que os ataques cibernéticos aumentaram 3 vezes desde a última edição do Relatório Anual de Segurança, publicada em 2018. 

Outro dado revelador foi que a empresa registrou em maio deste ano mais de 900 milhões de programas maliciosos. O software Windows continua detendo o maior número de antivírus pois é um dos que mais sofrem tentativas de invasão.  

Segundo o relatório, cerca de 51% de todos os softwares de defesa foram desenvolvidos para Windows no último ano. 

A grande preocupação das empresas especializadas em segurança da informação na atualidade está relacionada ao que tange a IoT, também chamada de Internet das Coisas. 

Esses dispositivos ainda não possuem segurança específica e, geralmente, estão conectados a outros dispositivos com banco de dados, como celulares por exemplo. 

Um vírus, conhecido como “Mirai” infectou mais de 78 mil aparelhos IoT em 2018, apontou o documento. 

Como lidar com uma Crise Digital  

Caso haja uma invasão cibernética nos sistemas de sua empresa, você terá apenas algumas horas para agir e diminuir os impactos negativos que isso trará inevitavelmente ao seu business. 

A primeira medida é acionar seu plano de contingência para incidentes digitais. Caso você não tenha um, é preciso começar a planejá-lo agora. Você consegue mais informações de como fazer isso aqui

Uma crise digital pode ser contida de diversas formas, nas primeiras horas é crucial que ações múltiplas sejam executadas a fim evitar que o malware se espalhe ou consiga extrair as informações do seu banco de dados. 

AV-Test também listou os 10 países com maior número de envios de spam no mundo, e o Brasil ficou em primeiro lugar com 14,6% do total, seguido da Rússia com 14,3% e Japão com 9,5%. 

De acordo com o levantamento, a maioria desses spams são encaminhados em forma de e-mail com link muito parecido com uma URL.  

Implementando Segurança Digital em sua empresa 

Antes que seja necessário executar um plano de contingência para uma infecção cibernética, algumas ações preventivas podem ser executadas.  

Veja algumas medidas que você pode tomar em sua empresa a partir de agora: 

Oriente sua equipe 

Para reforçar as defesas de sua empresa no ambiente digital, recomenda-se primeiro educar sua equipe de colaboradores sobre os riscos envolvidos e sobre a responsabilidade individual de cada um na contenção de possível invasões. 

Não apenas para o departamento de T.I, mas criar uma Cultura de Segurança em todos os times. Desenvolvendo material informativo, aplicando treinamento e deixando clara a importância da proteção digital para toda a empresa. 

Atualizações também são uma porta de entrada para malwares. Alguns testes com implantação automatizada de patches se mostraram eficientes para diminuir riscos nesta questão. 

Ter um conjunto de políticas de prevenção de perda de dados que proteja todo armazenamento, incluindo redes, dispositivos e locais de nuvem, é uma ação indispensável na segurança da informação corporativa. 

Uma política de perda de dados (DLP) é extremamente importante para a continuidade do negócio

Dados compartilhados em nuvem 

Como revelado pelo relatório Grand Theft Data II, os locais de nuvem são um grande ponto de vulnerabilidade na segurança da informação. Deve-se manter atenção redobrada às configurações e atualizações nestes serviços. 

Por conter a maior parte dos dados das empresas, as nuvens são um dos principais alvo de ataques cibernéticos.  

Porém, as medidas de segurança tomadas são, muitas vezes, as mesmas do provedor local.  Conhecer bem a nuvem e o aplicativo que escolheu para trabalhar é a melhor estratégia para encontrar uma proteção antivírus adequada. 

Softwares de defesa automatizados  

Automatizar os sistemas para que quando um malware seja detectado, todos os outros dispositivos da empresa entrem em estado de alerta, é uma das medidas que podem ser tomadas para conter a infestação cibernética mais rapidamente. 

Ainda que tudo pareça seguro, sempre faça auditorias regularmente em seus sistemas de segurança da informação. Toda a criptografia de celulares corporativos, computadores e tablets deve ser fortalecida de tempos em tempos.  

Essas medidas devem complementar um plano de resposta a incidentes digitais para prevenir uma possível crise.  

Todos estamos expostos e, caso algo venha a acontecer, você precisa ter um plano de contingência para evitar a expansão do malware. O que vai ajudar a diminuir seus impactos e evitar também que o caso seja levado a público. 

Pupo Neto

CEO of CoApps Brasil - More than 20 years of experience in various markets - automotive, cosmetics, education, technology and others - in multinational companies, large national groups and startups - O Boticário, Nissan, UOL, OpenEnglish and OLX.

Participation in the creation of 3 startups in early-stage until the complete operation (OpenEnglish and Canal da Peça)
Large cases of communication in multinationals (O Boticário, Nissan, UOL, OLX, etc).
Pupo Neto

Deixe uma resposta